segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Opinião - "A Célula Adormecida", de Nuno Nepomuceno






Autor: Nuno Nepomuceno
Editor: Top Books
ISBN9789897060502
Edição ou reimpressão
Páginas592




Sinopse

«Assim queira Deus, o Califado foi estabelecido e iremos invadir-vos como vocês nos invadiram. Iremos capturar as vossas mulheres como vocês capturaram as nossas mulheres. Vamos deixar os vossos filhos órfãos como vocês deixaram órfãos os nossos filhos.»
Daesh, o autoproclamado Estado Islâmico, 2014.

Em plena noite eleitoral, o novo primeiro-ministro português é encontrado morto. Ao mesmo tempo, em Istambul, na Turquia, uma reputada jornalista vive uma experiência transcendente. E em Lisboa, o pânico instala-se quando um autocarro é feito refém no centro da cidade. O autoproclamado Estado Islâmico reivindica o ataque e mostra toda a sua força com uma mensagem arrepiante.
O país desperta para o terror e o medo cresce na sociedade. Um grande evento de dimensão mundial aproxima-se e há claros indícios de que uma célula terrorista se encontra entre nós. Todas as pistas são importantes para o SIS, sobretudo, quando Afonso Catalão, um conhecido especialista em Ciência Política e Estudos Orientais, é implicado.
De antecedentes obscuros, o professor vê-se subitamente envolvido numa estranha sucessão de acontecimentos. E eis que uma modesta família muçulmana refugiada em Portugal surge em cena.
A luta contra o tempo começa e a Afonso só é dada uma hipótese para se ilibar: confrontar o passado e reviver o amor por uma mulher que já antes o conduziu ao limiar da própria destruição.

Opinião

A minha saga com este livro começou no dia em que foi anunciado o seu lançamento. Tendo lido a trilogia Freelancer, estava muito curiosa com os trabalhos futuros do autor. Para ajudar à festa, a sinopse é muito cativante, e a capa absolutamente linda. Apesar dessa imensa vontade de o ler, só comprei o livro por volta da segunda semana de Novembro, e quando iniciei a leitura tentei levar o meu tempo a apreciar a história (inicialmente até consegui, mas as últimas 300 páginas foram lidas num dia. Ups!).
O tema central deste livro despertou-me logo muito interesse, por ser muito atual e extremamente controverso. O autor consegue informar sem ser maçador, não "descarregando" toda a informação num único momento, mas dividindo e utilizando diversas técnicas para a revelar. Outra coisa que adoro nos livros dele é estar constantemente a aprender vocabulário. As explicações relativamente à guerra do petróleo, à origem do financiamento do Daesh e ao que é, afinal, o Islão são extremamente bem conseguidas. A narrativa é, tal como nos livros anteriores, muito cinematográfica. As personagens parecem muito reais, o que me levou a gostar delas, a sofrer com elas, a surpreender-me por diversas vezes, e a manter um desagrado bem marcado em relação a outras. 
Os capítulos curtos são fantásticos para o ritmo de leitura, mas péssimos para quem quer pousar o livro. Várias vezes dei por mim a iniciar o capítulo seguinte sem dar conta, a ter que voltar atrás para confirmar em que dia do Ramadão estava, a tapar a página com a mão para me controlar e não ler mais.
A abordagem de temas como o racismo, a xenofobia, a exclusão social e todo um preconceito religioso que, infelizmente, assisto muito na nossa sociedade é feita de uma forma subtil, mas essas questões deixam a sua marca, abrem-nos os olhos para o que nos rodeia, e tornam-se insistentes no nosso pensamento. 
Não me quero alongar, por medo de revelar demasiado ou tirar a vontade de ler a alguém, mas quero só dizer que, para mim, a mensagem central deste belíssimo livro é a que o ódio só gera mais ódio, apenas o amor, o respeito e a aceitação pelos outros permitem uma convivência pacífica e agradável.
Este é sem dúvida o meu livro favorito do autor até agora.



E por aí, alguém já leu este ou outros livros do autor? O que acharam?


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Opinião - "Perguntem a Sarah Gross", de João Pinto Coelho







Autor: João Pinto CoelhoEditor: Dom QuixoteISBN9789722057103Edição ou reimpressãoPáginas448EncadernaçãoCapa mole















Sinopse

Em 1968, Kimberly Parker, uma jovem professora de Literatura, atravessa os Estados Unidos para ir ensinar no colégio mais elitista da Nova Inglaterra, dirigido por uma mulher carismática e misteriosa chamada Sarah Gross. Foge de um segredo terrível e procura em St. Oswald’s a paz possível com a companhia da exuberante Miranda, o encanto e a sensibilidade de Clement e sobretudo a cumplicidade de Sarah. Mas a verdade persegue Kimberly até ali e, no dia em que toma a decisão que a poderia salvar, uma tragédia abala inesperadamente a instituição centenária, abrindo as portas a um passado avassalador. 

Nos corredores da universidade ou no apertado gueto de Cracóvia; à sombra dos choupos de Birkenau ou pelas ruas de Auschwitz quando ainda era uma cidade feliz, Kimberly mergulha numa história brutal de dor e sobrevivência para a qual ninguém a preparou.
Rigoroso, imaginativo e profundamente cinematográfico, com diálogos magistrais e personagens inesquecíveis, Perguntem a Sarah Gross é um romance trepidante que nos dá a conhecer a cidade que se tornou o mais famoso campo de extermínio da História. A obra foi finalista do prémio LeYa em 2014.


Opinião

Para dizer a verdade nem liguei à sinopse do livro. Foi de tanto ouvir falar bem dele que o decidi ler, e, apesar de não ser ler muitos livros sobre este tema, sinto-me verdadeiramente feliz por o ter feito. 
Achei o início um pouco lento, sendo que só a cerca de metade do livro me senti verdadeiramente envolvida na história. No entanto, mesmo durante a parte lenta, adorei a forma como o autor descreve os locais, principalmente a Polónia. 
A partir de um certo acontecimento tudo se desenvolve de uma forma que me deixou colada às páginas, a querer respostas, mas ao mesmo tempo horrorizada com elas. E no final, quando achava que já nada me tinha recomposto das emoções, há uma revelação tão inesperada que fiquei de coração pequenino.
Este livro belíssimo retrata tantos "podres" da sociedade de uma forma tão inteligente e bem interligada que quase nem damos pela presença de todos eles. 

Foi uma leitura revoltante. Fiquei muito tempo a pensar em como terão as pessoas arranjado vontade para sobreviver em condições tão degradantes como as dos campos de extermínio. Quem me dera poder ouvir a história de cada um deles, se essas pessoas decidissem que a queriam partilhar. Porque não podemos nunca deixar que o holocausto se torne uma memória apagada, nem permitir que tal barbaridade volte a existir. 

No dia a seguir a acabar de ler este livro perguntaram-me se ele era bom, se valia a pena ler. Não consegui responder logo, nem consegui fazê-lo sem me virem lágrimas aos olhos. É muito bom, nem sequer o consigo recomendar suficientemente bem.



Não sei se o autor alguma vez vai ler isto, mas tenho umas palavras para ele. Antes de mais um grande agradecimento por ter escrito esta obra maravilhosa. E um obrigado também por ter sido tão acessível e simpático na Feira do Livro (eu prometi-lhe que iria dar a minha opinião, e cá está ela). E quero que saiba que se voltar a publicar, tem pelo menos uma leitora garantida.


quinta-feira, 6 de outubro de 2016

TAG - Este ou Este?

Hoje aproveito um dia de folga do estágio para vos trazer uma TAG muito engraçada que tanto eu como a Ana adorámos! A tag chama-se “Este ou Este”, foi-nos passada pelo blogue Nerdy Bookworm e consiste numa batalha entre livros!





No final do post do blogue que nos indicou para a tag houve um livro vencedor e esse  livro entrará no primeiro round desta batalha juntamente com o primeiro livro da lista dos 7 que ela nos indicou e por aí em diante, sendo que o principal objetivo é escolhermos em cada ronda o livro que nos desperta mais interesse ou, no caso de já termos lido os livros, o que gostamos mais.

As Regras são:
– Colocar o blogue que te indicou no início do post;
– O livro que dá inicio é o livro ganhador da pessoa que te indicou;
– Seguindo a lista de livros indicados pela pessoa que te passou a TAG, deverás ir escolhendo de acordo com a ordem: podes deixar o livro que lidera a batalha ou escolher a nova opção dada e abaixo explica o porquê;
– Uma vez que tenhas o teu livro ganhador, escolhe sete livros e sete blogues para repassar a TAG.


O livro vencedor do blogue Nerdy Bookworm foi “A Rapariga no Comboio” de Paula Hawkins.



1ª Ronda: "A Rapariga no Comboio" x "The Longest Ride" 



























Entre estes dois, escolho o "The Longest Ride" de Nicholas Sparks, pois nunca li nada do autor e tenho alguma curiosidade graças aos filmes que, apesar de terem enredos algo semelhantes, são bonitos (adorei Dear John, The Notebook, The Last Song, A Walk to Remember e fartei-me de chorar). Além disso, não tenho ouvido opiniões muito positivas acerca do "A Rapariga no Comboio" e, mesmo quando leio algo de bom, não me desperta interesse... fiquei com a impressão de que é um thriller previsível e um pouco fraco. A Ana aqui do blog também já o leu e não gostou tanto, portanto vou ficar apenas com o filme.



2ª Ronda - "The Longest Ride" x "Uma Morte Súbita"




Quero imenso ler algo de J.K.Rowling além de Harry Potter e vi um vídeo no canal Livraria em Casa no qual o booktuber Paulo Ratz recomenda de forma rápida o livro (a partir dos 2:54min), pelo que pretendo lê-lo no futuro e fico com ele nesta ronda!



3ª Ronda - "Uma Morte Súbita" x "A Cidade de Vidro"


























Confesso que não tenho vontade de sequer começar a série "Os Instrumentos Mortais", quanto mais chegar até este 3º livro. A sinopse não me desperta grande interesse e as opiniões que leio/oiço de pessoas que leram a série acabam muitas vezes por exprimir que não vale a pena. Também comecei a ver o filme e achei terrível xD, tanto que nem me dei ao trabalho de chegar até ao fim do mesmo. Já a trilogia "The Infernal Devices" / "As Peças Infernais", da mesma autora, já tenho alguma curiosidade em ler, principalmente por se passar numa Londres Vitoriana (e por ter um melhor feedback). Nesta ronda continua então a ganhar "Uma Morte Súbita".



4ª Ronda -  "Uma Morte Súbita" x "Everland"

























Gosto muito da história do Peter Pan e a ideia de um reconto é bastante interessante. Além disso, a Ana do blog Nerdy Bookworm recomendou bastante este livro, sendo que a sua opinião aguçou a minha vontade de o ler e assim escolho-o nesta ronda. 



 5ª Ronda - "Everland" x "As Intermitências da Morte"
























"As Intermitências da Morte" é um livro que me intriga muito e é do genial Saramago, um autor que preciso e quero ler mais. Já tenho o livro há imenso tempo na estante para ser lido e pretendo mudar isso, portanto é com ele que fico.




                                                   6ª Ronda - "As Intermitências da Morte" x "Um Grito de Amor Desde o Centro do Mundo"

























HmM difícil! Não conhecia de todo o livro "Um grito de amor desde o centro do mundo"(pt)/ "Um grito de amor do centro do mundo" (br)/ "Socrates in Love", mas a Ana do blog Nerdy Bookworm disse que tem um história linda e fiquei super curiosa!! Mesmo assim vou continuar com "As Intermitências da Morte", pois é o que tem maior prioridade na minha lista de TBRs.



             7ª Ronda -  "As Intermitências da Morte" x "Cidades de Papel"
























Já li "Cidades de Papel" e gostei. Apesar de não ter correspondido às minhas gigantes expectativas da altura, foi bom ter voltado a John Green, um autor que me é bastante querido. Acho que não releria o livro, motivo pelo qual não o escolho. 



O livro vencedor é:



A lista de livros para as pessoas que tagueio é a seguinte: (não se esqueçam que o primeiro é "As Intermitências da Morte", que não entra na lista abaixo)

1- O Luto é a Coisa com Penas, de Max Porter 


2- Sozinhos na Ilha / On the Island, de Tracey Garvis-Graves

3- Os Hóspedes, de Sarah Waters

4- Baker's Magic - A Magia do Pão, de Diane Zahler


5- Lolita, de Vladimir Nabokov


6- Six of Crows, de Leigh Bardugo
7- David Copperfield, de Charles Dickens



Pessoas/Blogues que indico para responderem à tag:




E vocês, destes livros todos qual o que têm mais curiosidade em ler? 
Não fui eu quem criei a tag, mas estejam à vontade para se sentirem tagueados por nós! Beijinhos :)




sábado, 1 de outubro de 2016

Maratona Literária de Verão 2016 - Wrap Up ♡

A maratona acabou no dia 22, e (com um atraso monumental) viemos fazer um post final sobre esta experiência maravilhosa. 

Agradecemos desde já à Roberta Frontini do blogue Flames e à Vera Lúcia Neto do blogue Agora Que Sou Crítica por este projeto que tanto nos fez ler este Verão.
Passemos aos desafios... :)


Ana


Inicialmente tinha-me proposto completar 10 desafios durante a maratona. Achei que não ia conseguir ler grande coisa, que ia ficar limitada por escolher uma TBR antecipadamente e que essa mesma lista de livros não me ia satisfazer, porque sempre li o que me surgia no momento.

Não podia estar mais enganada. Li mais do que esperava, diverti-me imenso e foi fácil adaptar-me a seguir uma lista previamente decidida em vez do habitual olhar para a estante e ver o que me sorri.

Adorava poder continuar a ler tanto como até agora, mas o tempo para isso acabou. Claro que continuo a ler muito, mas são livros técnicos que não me ajudam NADA a relaxar.

Fica aqui então a lista de desafios desta maratona, com os livros e o número de páginas que li:
1) Ler um livro em inglês - The Apothecary's House, de Adrian Matthews (tinha iniciado antes da maratona, li 338 páginas) 3

2) Ler um livro de um autor português - A Espia do Oriente, de Nuno Nepomuceno (488 páginas) 4

3) Ler um romance histórico - A Catedral do Mar, de Ildefonso Falcones (831 páginas) 3

4) Ler um livro que está há muito tempo na estante - Sem Tempo Para Dizer Adeus, de Jacquelyn Mitchard (264 páginas) 3

5) Começar ou terminar uma série ou trilogia - The Name of the Wind, de Patrick Rothfuss (602 páginas) 4

6) Um livro que também tem filme - Em Parte Incerta, de Gillian Flynn (672 páginas) 3

7) Um livro de um género que nunca leste ou que não costumas gostar ou ler um romance contemporâneo - não completei

8) Um livro que te deram - A Monster Calls, de Patrick Ness (240 páginas) 4

9) Reler um livro que não gostaste ou ler um livro de suspense/mistério - não completei (e livros de suspense/mistério são os que mais tenho em casa)

10) Ler um livro pela capa - A História de Lisey, de Stephen King (485 páginas) 3

11) Ler um livro situado no Verão - Amy & Roger's Epic Detour, de Morgan Matson (384 páginas) 2

12) Ler qualquer outro livro que queiram - não completei

13) Ler um livro com a cor amarela ou laranja na capa - A Cidade dos Anjos Caídos, de Cassandra Clare (tinha iniciado antes da maratona, li 147 páginas) 2

14) Ler um livro publicado em 2016 - It Ends With Us, de Colleen Hoover (384 páginas) 4

15) Ler um livro de um autor que gostes mas que ainda não leste - O Artista da Morte, de Daniel Silva (400 páginas) 4

16) Ler um livro que te recomendaram - Ready Player One, de Ernest Cline (386 páginas) 5

17) Ler um livro comprado pelo título - The Undomestic Goddess, de Sophie Kinsella (416 páginas) 3

18) Ler um livro com um título estranho - The Curious Incident of the Dog in the Night-Time, de Mark Haddon (320 páginas) 3

19) Ler um livro em que o nome do autor começa pela mesma inicial que o vosso, ou que o nome da personagem principal começa pela mesma inicial que o vosso - Sangue Derramado, de Åsa Larsson (398 páginas) 2

20) Ler um livro de capa dura - Coração Fantasma, de Cecilia Samartin (370 páginas) 4

21) Ler uma graphic novel ou um conto - Persepolis, de Marjane Satrapi (341 páginas) 3

22) Ler um livro escrito no ano em que nasceste - A Maiden's Grave, de Jeffery Deaver (544 páginas) 5

23) Ler um livro com mais de 600 páginas - A Colónia do Diabo, de James Rollins (197 páginas, não terminei) 

Total de páginas lidas8.207 páginas.

Carolina


Escolhi quase todos os livros para a maratona e gostei muito do processo de pensar, pesquisar e escolher as leituras para a mesma, no entanto ao longo do caminho resolvi mudar algumas das escolhas e acabei por não finalizar todos os desafios propostos. Maaas, isso não significa que não me tenha divertido imenso com a maratona - adorei ver as TBRs e os progressos dos outros participantes e, além disso, fico muito grata a esta experiência por me ter encorajado a ler livros muito bons que provavelmente não teria lido tão cedo se não fosse pelos desafios!

Acabou-se o verão e com ele as férias, portanto o tempo para ler agora é mais escasso, contudo espero que o outono e inverno sejam também muito propícios às leituras. :)


Desafio 14- Ler um livro publicado em 2016 - Kindred Spirits, de Rainbow Rowell Páginas: 63.
Classificação: 5 

Desafio 23- Ler um livro com mais de 600 páginas - A História Secreta, de Donna Tartt Páginas: 704.
Classificação: 5 

Desafio – Ler um livro situado no verão - Amy & Roger's Epic Detour, de Morgan Matson Páginas lidas: 343.
Classificação: 3 

Desafio - 6) Um livro que também tem filme - Harry Potter e a Câmara dos Segredos, de J.K. Rowling Páginas lidas: 280.
Classificação: 5 

Desafio - 10) Ler um livro pela capa - The Terrible Thing That Happened to Barnaby Brocket, de John Boyne Páginas lidas: 288.
Classificação: 3,5 

Desafio - 4)Ler um livro que está há muito tempo na estante - A Sangue Frio, de Truman Capote Páginas lidas: 368.
Classificação: 5 

Desafio - 9) Reler um livro que não gostaste ou ler um livro de suspense/mistério - Dangerous Girls, de Abigail Haas.  
Páginas lidas: 388. 
Classificação: 4,7 

Desafio - 19)Ler um livro em que o nome do autor começa pela mesma inicial que o vosso, ou que o nome da personagem principal começa pela mesma inicial que o vosso - More Happy Than Not, de Adam Silvera. Páginas lidas: 293.
Classificação: 4 ☆

Desafio - 20)Ler um livro de capa dura - Wonder, de R.J. Palacio. 
Páginas lidas: 320.
Classificação: 4 

Desafio- 22) Ler um livro escrito no ano em que nasceste (1995) - Alta Fidelidade, de Nick Hornby. 
Páginas lidas: 334.
Classificação: 4 

Desafio - 12)Ler qualquer outro livro que queiram ler - O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde (incompleto).Páginas lidas: 153.
Classificação (pós-maratona): 4 


Total de páginas lidas: 3.533 páginas.





E vocês, o que mais gostaram de ler durante este verão? 



Beijinhos, Ana & Carolina.