quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Update - 6ª, 7ª e 8ª Semanas da Maratona Literária de Verão

Nem dá para acreditar que já passaram dois meses desde o início da maratona!

O verão está a ir embora rápido demais, e com ele a nossa tão preciosa maratona. Estamos a gostar muito de participar nela, e embora não estejamos perto de a completar, divertimo-nos bastante a escolher livros para as categorias, a ler as atualizações dos outros participantes e tantas outras coisas maravilhosas que este projeto nos trouxe para além do incentivo à leitura.

As últimas semanas passaram a voar, e é tempo de atualizar o nosso progresso

Ana



Andava mortinha para ler a continuação de "O Espião Português" (não se notou naaada pela opinião que postei aqui no blog, verdade?) e quando vi o desafio 2) Ler um livro de um autor português, não hesitei a fazer a escolha.
Apesar de não ter gostado tanto como do primeiro, foi um livro que não me desiludiu. Continuei presa à história de tal modo que a minha irmã veio ter comigo às 3 da manhã, quase a cair de tanto sono, e eu de olho bem aberto a ler.
Escusado será dizer que agora preciso de ler o terceiro volume...


Este livro apareceu na minha vida como que por magia. Em conversa com uma pessoa querida, falei do projeto da maratona, e ela sugeriu-me (e amavelmente ainda me emprestou) este gorducho de mais de 800 páginas. Calhou muito bem, porque não fazia ideia do que iria ler para o desafio do romance histórico.
Apesar de ter gostado das personagens, da descrição da época e dos locais, não conseguia parar de pensar que os acontecimentos eram demasiado previsíveis. 


E para o desafio de ler um livro publicado no ano em que nasci, resolvi ver uma lista no Goodreads com livros publicados em 1995, e este foi o eleito.
Foi a surpresa mais agradável que tive neste maratona, apesar de não ter sido o livro de que mais gostei. Quando o comecei a ler, já não me lembrava da sinopse, e acho que isso me ajudou a não criar expetativas demasiado altas.
A certa altura dei conta que, tal como o Arthur (o agente negociador), estava a tentar adivinhar os pensamentos e ações do Lou (o líder do grupo que fez reféns). Recomendo vivamente este livro a quem se sentir minimamente interessado pelo tema.


Completei também o desafio "Ler um livro em que o nome do autor começa pela mesma inicial que o vosso". 
Não foi das minhas leituras preferidas. A sinopse induziu-me em erro, e a escrita não era para mim.

Total de páginas lidas: 5509



Carolina




“A Sangue Frio” apresenta-nos um romance jornalístico, ou seja, uma história de não-ficção após a análise minuciosa de mais de 8 mil páginas de documentos oficiais, recolha de depoimentos, cartas e diários relacionados com um caso verídico. Embora não tenha sido o primeiro livro desse género literário, foi o primeiro que causou um impacto tão grande pela sua temática e pela mestria da escrita de Capote.

Este é um livro tão notável quanto perturbante por vários motivos. Em primeiro lugar, o autor começa por descrever o ambiente e os moradores da pequena e pacata cidade de Holcomb e assim acabamos por descobrir como os habitantes, pessoas tão amigáveis, honestas e cumpridoras da lei, são afetadas pelo abalo do assassinato da família Clutter – cujos membros eram todos, sem exceção, respeitados e admirados por toda a comunidade. 
Como e acima de tudo porquê, pessoas tão generosas e simples, que também o leitor passa a estimar com o virar das páginas, são assassinadas a sangue frio num lugar onde as pessoas confiavam de tal forma umas nas outras que deixavam as suas portas permanentemente destrancadas? Ninguém conseguia compreender.

Em segundo lugar, à medida que começamos a conhecer os Clutter, Capote apresenta-nos dois sujeitos, Dick Hickock e Perry Smith, os autores dos homicídios. E aqui encontra-se o diferencial deste livro. Capote analisa a vida de Hickock e Smith de uma forma tão íntima que não há como não sentirmos certa empatia em relação a dois criminosos que, sinceramente, só desejávamos detestar. Houve momentos em que me vi a torcer pelos dois, outros em que senti pena de suas vidas desoladas ou até mesmo considerei as suas qualidades e isso é algo desconfortável de admitir, mas não deixa de ser verdade. O mais triste é quando nos apercebemos de que, se Perry tivesse seguido tal rumo ou Hickock outro, nada teria acontecido, pois apenas juntos, estes dois homens no fundo imaturos e fracos devido aos seus passados, se tornaram destrutivos.

Em terceiro e último lugar, a escrita é fascinante, pois sem ser excessivamente descritiva, é fluida e precisa. Conseguimos transportar-nos para os locais, sentir que conhecemos intimamente cada pessoa e é assim que se torna evidente que Capote deve ter respirado este caso, pois só com um mergulho em profundidade no tema e muita dedicação seria possível um livro deste nível.

Desafio - 4)Ler um livro que está há muito tempo na estante. 
Páginas lidas desde a atualização anterior: 184 (a leitura já havia sido então iniciada).
Classificação: 5 





Um grupo próximo de amigos decidem passar as férias da primavera numa ilha e, quando Elise é assassinada, a sua melhor amiga Anna encontra-se repentinamente incriminada e encarcerada.

O que realmente terá acontecido, estará algum dos amigos efetivamente relacionado com a morte, terá a justiça de um país que não o deles tentado incriminar um forasteiro? Com capítulos alternados entre o presente e flashbacks do passado, começamos a construir várias hipóteses e a encaixar as peças do puzzle que nos conduzirão à verdade.
Este é um livro relativamente pouco conhecido, pois não vejo muita gente a comentá-lo, no entanto recomendo imenso e acho que muitas pessoas desfrutariam desta leitura. Além de se ler bastante rápido pelo impulso de se querer saber o que aconteceu, é mesmo muito bem construído.

Tenho apenas duas coisas a apontar e por isso não dei 5 estrelas “redondinhas” – o final teve uma parte um pouco estranha que de início estranhei, mas apenas passados dias consegui entranhar (não entrarei em detalhes por ser spoiler, mas terei todo o prazer de comentar com quem tiver lido) e gostaria que o momento do homicídio nos tivesse sido descrito, uma vez que todo o livro girou à volta do mesmo. 

Desafio - 9) Reler um livro que não gostaste ou ler um livro de suspense/mistério. 
Páginas lidas desde a atualização anterior: 194 (a leitura já havia sido então iniciada)
Classificação: 4,7 ☆





Este livro é sobre Aaron, um rapaz de 16 anos que, após o suicídio do pai e a sua própria subsequente tentativa falhada de suicídio durante o luto, decide tentar encontrar a felicidade novamente, sendo que para isso considera recorrer a um revolucionário procedimento de alteração de memória chamado Leteo.

Gostei imenso desta leitura por não dourar a pílula, pois aqui podemos ler sobre a vida de um adolescente de maneira extremamente realista – o personagem principal comete erros, tem as suas dúvidas, fala palavrões, em dado momento pergunta-se como tem tanta sorte, noutro porque tem a vida tão miserável, encontra-se naquele limbo entre as brincadeiras de infância e a responsabilidade da vida adulta, entre outras coisas que depois poderão vir a descobrir. Além disso, o livro surpreendeu-me em vários momentos e, por esse motivo, recomendo que não leiam a sinopse porque acho que talvez entregue demasiado da história.


Em suma, More Happy Than Not aborda vários temas pesados com a devida atenção e transmite-nos uma mensagem bastante importante, no entanto achei que talvez o livro tenha sido demasiado pessimista. 

Desafio - 19)Ler um livro em que o nome do autor começa pela mesma inicial que o vosso, ou que o nome da personagem principal começa pela mesma inicial que o vosso. 
Páginas lidas: 293
Classificação: 4 ☆



Comecei o tão aclamado Wonder/Extraordinário com altas expectativas e estou a adorar, já prevejo que se torne num dos meus favoritos!

Desafio - 20)Ler um livro de capa dura. (Em andamento).
Páginas lidas: 96 (de 320).



Talvez seja este o livro que mais me esteja a surpreender nesta maratona por ser tão espirituoso e tão, mas tão bom! Lembro-me de percorrer a lista dos livros publicados no ano em que nasci no Goodreads, sendo que este foi o único que me despertou minimamente a atenção por já ter ouvido falar dele. Não estava particularmente entusiasmada ao começá-lo, mas isso mudou completamente à medida que avançava a leitura. 

Desafio- 22) Ler um livro escrito no ano em que nasceste (1995). (Em andamento).
Páginas lidas: 100 (de 334).

Total de páginas lidas: 2923 





E vocês, já leram algum dos livros que mencionámos? Se estão a participar da maratona, como vos está a correr? :) 

Beijinhos e boas leituras!

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Update - 3ª, 4ª e 5ª Semanas da Maratona Literária de Verão

Olá!

Desta vez deixámos passar três semaninhas para fazer a atualização, mas ela não ficou esquecida :)


Ana




Terminei de ler este livro para o desafio 5, que consistia em começar ou terminar uma série ou trilogia.
Inicialmente não estava a gostar muito, mas com o avançar da narrativa fiquei encantada com este mundo. Espero ler a continuação brevemente, porque fiquei mesmo curiosa para saber o resto da história.



Quando terminei de ler "O Nome do Vento" senti necessidade de ler algo fácil, rápido e leve. Não tinha planeado ler este livro tão cedo na maratona, mas visto que queria uma leitura com as condições acima mencionadas, achei que seria uma boa opção. Este livro veio então completar o desafio "ler um livro que compraste pelo nome".
O livro é de facto muito fácil de ler, engraçado, leve e cheio de clichés. E peço desde já desculpa, mas a Samantha e a sua falta de aptidão divertiram-me e irritaram-me em igual medida.




Desafio 4 - Ler um livro que esteja na estante há muito tempo.
Para este desafio tive que procurar bem. Mas lá estava um livrinho finito escondido entre os outros, há um tempo vergonhosamente longo. Lembram-se daquela altura em que a Editorial Presença fez aquela campanha em que só se pagavam os portes de envio? Pois bem, este livro veio nessa campanha (Ups!)
No geral surpreendeu-me pela positiva, mas achei-o demasiado previsível.


A minha última leitura foi esta graphic novel, para o desafio 21.
Fez-me pensar bastante sobre o papel que a comunicação social tem na reputação de um país e na opinião das pessoas sobre os acontecimentos. 
Louvo a autora por ter tido coragem de contar a sua história da maneira que contou, com as suas falhas e frustrações expostas para o mundo.

Total de páginas lidas: 3248



Carolina


Comecei por terminar o segundo livro da série Harry Potter e apesar de sentir alguma pena por não ter apanhado o comboio quando era mais nova, está a ser uma experiência espetacular finalmente poder ler estes livros.
Fiquei extremamente contente com o aparecimendo do Dobby (e com o final *-*) e achei bastante interessante a figura do Lockhart (embora até agora não compreenda o que ele esteve a fazer em Hogwarts além de atrapalhar). Creio que tal como o Malfoy, ele sentia inveja da fama do Harry, a única diferença é que, enquando o Draco o fazia com escárnio, o Lockhart o fazia com um sorriso.
Adorei tudo, principalmente a forma como a família e a amizade são retratadas... aqueceu-me mesmo o coração. 

Desafio - 6) Um livro que também tem filme 
Páginas lidas: 160





Já há bastante tempo que queria ler algo do John Boyne e The Terrible Thing That Happened to Barnaby Brocket foi o eleito! É um livro que considero importante por abordar as diferenças de uma forma tão simples, mas ao mesmo tempo tão bem feita. Gostei muito de acompanhar a jornada do Barnaby, de conhecer as pessoas que cruzaram o seu caminho e, principalmente do modo como esse percurso e essas histórias de vida o marcaram e contribuíram para o seu crescimento pessoal e autovalorização. Muito fofinho! :)


Desafio - 10) Ler um livro pela capa 
Páginas lidas: 288


Dei também início à leitura deste clássico e só posso dizer que é delicioso de se ler. Pretendo falar melhor sobre ele quando finalizar a leitura, mas posso adiantar que me surpreendeu pela positiva. 

Desafio - 4)Ler um livro que está há muito tempo na estante (em andamento).
Páginas lidas: 184 


Não contente com um livro sobre crime, tive de ir buscar outro simplesmente porque estava com vontade - e ainda bem! Comecei a lê-lo na tarde de sábado, mas mal o consegui largar porque é um tanto quanto viciante! Mais pensamentos em breve...

Desafio - 9) Reler um livro que não gostaste ou ler um livro de suspense/mistério (em andamento).
Páginas lidas: 194 


Total de páginas lidas: 2056