segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Opinião - "Of Mice and Men", de John Steinbeck







Autor: John Steinbeck

Editor: Penguin Books

ISBN: 1440633908

Páginas: 112 








Sinopse

They are an unlikely pair: George is small and quick and dark of face; Lennie, a man of tremendous size, has the mind of a young child. Yet they have formed a family, clinging together in the face of lonelinss and alienation. Laborers in California's dusty vegetable fields, they hustle work when they can, living a hand-to-mouth existence. For George and Lennie have a plan: to own an acre of land and a shack they can call their own. When they land jobs on a ranch in the Salinas Valley, the fulfillment of their dream seems to be within their grasp. But even George cannot guard Lennie from the provocations of a flirtatious woman, nor predict the consequences of Lennie's unswerving obedience to the things George taught him.

(Em português)

Publicado em 1937, Ratos e Homens conta a história de dois pobres diabos, George e Lennie, que vivem de trabalhos episódicos e sonham com uma vida tranquila, com a hipótese de arranjar uma quinta em que possam dedicar-se à criação de coelhos. George é quem lidera, é aquele que toma as decisões e protege o seu amigo, sem no entanto deixar de depender da amizade e da força de Lennie. Este é um gigante simpático, dotado de um físico excepcional, mas mentalmente retardado. E ambos acabam por envolver-se em mil e uma complicações, quando, no rancho onde finalmente encontram trabalho, a mulher do patrão entra em cena... 

Opinião

Antes de mais nada tenho que agradecer à Filipa do canal filipab0oks e à Elsa do canal Ordem D'Avis por terem organizado uma maratona que se iniciou dia 14 e que termina amanhã, dia 28, a Carnaval-A-Thon. Se este livro não estivesse já escolhido para ler, provavelmente não o teria lido, porque tenho sempre um medo terrível de não estar à altura dos grandes clássicos.

Este livro retrata a improvável amizade entre dois homens muito diferentes: George e Lennie. George é um homem observador e de falas um pouco bruscas; Lennie é um gigante gentil, que não se apercebe das situações como as outras pessoas, nem da imensa força que tem. Enquanto George tem na sua mente a constante preocupação de manter ambos fora de problemas e de arranjar maneira de conseguirem comer e ter onde dormir, Lennie dedica-se a tentar cumprir as ordens do amigo e acariciar coisas fofas e macias. A inteligência de um garante a sobrevivência dos dois através de situações caricatas e que fazem com que tenham de andar sempre a mudar-se.

Outro tema que também é muito bem abordado neste obra é o "sonho americano", fazendo alusão a tanta gente que sonha com o seu pedaço de terra e a sua liberdade, sem, contudo, algum dia os alcançarem.

Com personagem muito bem caracterizadas e marcantes, estas pouco mais de 100 páginas deixam-nos de coração cheio e apertado, a sonhar e a cair na realidade, com vontade de rir e de chorar. É um livro brilhante escondido num enredo aparentemente simples, em que a palavra compaixão é a rainha de toda a história. Devo confessar que fiquei um pouco destruída com este pequeno-grande livro, tanto que não consegui iniciar logo outra leitura, e estive 10 dias para tentar encontrar palavras para me expressar acerca dele.

Recomendo vivamente esta leitura a toda a gente.




Já leram algo deste autor? O que me recomendam para próxima leitura dele (já li "O Inverno do Nosso Descontentamento")?
Beijinhos e boas leituras


9 comentários:

  1. Esse foi precisamente o meu primeiro livro do Steinbeck (há quase oito anos), e é das obras mais estupidamente humanas e que melhor retratam a amizade pura que já li. Acho que ninguém retrata a vida como Steinbeck o fazia.

    Dele já li, entretanto, A Pérola; To a God Unknown, também muito bom e menos conhecido; e Cannery Row, brilhante, o único assim mais "cómico" que li dele, e de que tenho review algures no blog. Tenho na estante o Travels with Charley, o East of Eden e o Grapes of Wrath, e estou ansiosa por pegar num deles.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. p.s., nunca tenhas medo de não estar à altura dos grandes clássicos. Muitos são um desafio, é certo - mas é aí que está metade da piada de os ler :)

      Eliminar
    2. Obrigada pelas palavras de conforto em relação aos clássicos. Fiquei muito entusiasmada com esta experiência, acho que vou tentar ler mais :D

      Eliminar
    3. Se gostaste de Steinbeck, tenta Hemingway! :) Tenta talvez Fitzgerald, tenta clássicos mais recentes e quiçá menos conhecidos: adorei o Cold Comfort Farm da Stella Gibbons, o I Capture the Castle da Dodie Smith (tenho reviews de ambos, assim como de alguns do Hemingway, no blog!); tenta Camus, talvez, tenta o Rebecca da Daphne du Maurier e, se gostares, tenta uma irmã Brontë, Jane Austen, há inúmeras possibilidades :) e regra geral, os clássicos são-no por um motivo - porque as histórias são realmente boas, com ou sem desafio!

      Eliminar
    4. Já li um de Hemingway, e li "Orgulho e Preconceito". Estava tentada a ler "Jane Eyre" ou "Wuthering Heights"

      Eliminar
    5. qual do Hemingway? :) pessoalmente gosto mais do wuthering heights! é muito "dark", um amor muito violento!

      Eliminar
    6. "Across the River and Into the Trees". Nesse caso acho que tenho que dar uma hipótese ao "Wuthering Heights" brevemente ;)

      Eliminar
    7. Ora aí está um do Hemingway que nunca li :)

      Eliminar
  2. Adorei a opinião!! Segui o blog também!
    Beijocas,
    Banal Girl
    www.the-banal-girl.blogspot.com

    ResponderEliminar